A Polícia Judiciária anunciou ontem ter concluído a investigação a um homem de 41 anos que durante 12 anos beneficiou da reforma da sua mãe já falecida, provocando um prejuízo ao Estado na ordem dos oitenta mil euros.



O homem foi constituído arguido. As pensões – de reforma e sobrevivência – eram pagas através do Centro Nacional de Pensões e da Caixa Geral de Aposentações.

cm