Pelo menos duas dezenas de pessoas foram abatidas a tiro na aldeia de Kaboro, estado de Zamfara, no norte da Nigéria.

De acordo com relatos oficiais, um número ainda indeterminado de homens armados com espingardas AK-47 invadiu a localidade e começou a disparar indiscriminadamente.

O ataque foi motivado pelo roubo, tendo os atacantes fugido depois de terem entrado em várias habitações onde buscavam dinheiro e outros valores.

A France Presse noticia, citando o porta-voz do gorverno de Zamfara, Nuhu Salihu Anka, que o chefe da aldeia enfrentou os assaltantes, pedindo-lhes que parassem a chacina, ato que acabou por lhe custar a vida.

Outras 23 pessoas foram mortas no passado mês de junho em outras aldeias do estado por gangs de motoqueiros.

Os ataques são caracterizados por grande violência, o que segundo observadores parece excluir a responsabilidade do grupo islamita Boko Haram, responsável por outros ataques anteriores no norte do da Nigéria, porém com marcas diferentes das deixadas por estes grupos.

A Nigéria, recorde-se, tem uma das mais altas taxas de criminalidade no continente africano.



lusa