O secretário de Estado da Energia, Artur Trindade, defendeu hoje que há condições objectivas para as empresas de electricidade oferecerem tarifas bi-horárias no mercado livre «a partir de 1 de Janeiro de 2013».
«A existência de tarifas bi-horárias no mercado liberalizado depende de medidas que tem a ver com aspectos políticos e essas já foram tomadas e depois depende da dinâmica do mercado», afirmou hoje Artur Trindade.
Adiantando não poder «apontar» quando estarão disponíveis as tarifas bi-horárias no mercado liberalizado, o secretário de Estado da Energia admitiu que «há condições objectivas a partir de 1 de Janeiro de 2013».
A portaria, publicada na semana passada em Diário da República, pretende «incentivar um consumo mais eficiente de energia por parte dos clientes finais, com menor utilização nas horas de ponta, encorajando, por outro lado, a oferta de modalidades de facturação com diferenciação horária da energia consumida por parte dos comercializadores de mercado».
A introdução de tarifas bi-horárias no mercado liberalizado tem sido defendida pelos consumidores, principalmente pela Deco – Defesa do Consumidor.

Fonte: Lusa/SOL