Carlos tem 37 anos e desde há 20 que o seu caminho se cruzou com a droga. Fez o percurso todo: haxixe, heroína, cocaína e crack. Pelo meio, tentou matar, a tiro, um traficante para lhe roubar ‘coca’. Em liberdade há três anos, encontrou nas drogas legais, que adquire numa smart shop em Albufeira, um novo escape. Mas, para os pais, com quem vive, Carlos mergulhou agora "no inferno". E estão completamente desesperados.



"Desde que ele começou a consumir aquele produtos, ficou totalmente descontrolado. Já me ameaçou e à mãe também. Insulta-nos. Rouba tudo em casa e às vezes esfaqueia a roupa que tem vestida", relatou ao CM o pai do consumidor. Abel Serôdio, de 72 anos, e a mulher já pediram várias vezes ajuda à GNR.

"Ele tem de ser internado. Já foi várias vezes à Psiquiatria, no Hospital de Faro, mas os médicos acham que ele não está louco e mandam-no para casa", disse.

Quando o CM esteve na casa da família, deparou-se com Carlos a viver numa tenda, no quintal. "Antes, vivia num quarto, mas partiu tudo com a fúria", revelou o pai, que confessa estar a viver "um verdadeiro terror".

"Quando ele consome aquilo, fica fora de si. Às vezes anda nu pela rua, porque se sente a arder. Abana a cabeça, sacode-se. E já vi jovens assim. É assustador e degradante", adiantou.

O CM confirmou o caso junto das autoridades, que registam cada vez mais situações de agressividade relacionadas com o consumo de drogas legais. E também assaltos sucessivos às smart shops no Algarve.

cm