As quatro funcionárias do banco Millennium de Alvaiázere, agredidas no decorrer de um assalto anteontem à instituição, mantinham-se ontem abaladas e a recuperar dos ferimentos.



"O que sofreram ali é um trauma psicológico que só o tempo e, possivelmente, algum apoio ajudará a ultrapassar", considera Agostinho Gomes, vereador, frisando que "a câmara está disponível para apoiar no que for preciso". Até ontem, nenhuma das vítimas pediu qualquer apoio. As quatro mulheres, de 31, 36, 46 e 52 anos, foram agredidas por dois assaltantes, encapuzados e armados, que fugiram com dinheiro. Uma das vítimas, a gerente da instituição, ainda foi baleada num dos pés. O seu estado não inspira cuidado.

Os dois assaltantes estariam acompanhados por outros dois. No assalto, usaram um carro furtado, que depois incendiaram e abandonaram.

cm