O Tribunal de Torres Vedras começa na segunda-feira a julgar um motorista de uma carrinha escolar pelos crimes de abuso sexual de cinco crianças, na altura a frequentar o jardim de infância e o primeiro ciclo.
O arguido, um homem de 66 anos reformado da indústria cerâmica, é acusado de cinco crimes de abuso sexual, um crime de rapto agravado, um de violação agravada e outro de coação agravada, refere a acusação do Ministério Público (MP), a que a agência Lusa teve acesso.
O sexagenário, já avô, é acusado de entre os anos de 2005 e 2010 aliciar crianças entre os três e os 10 anos que transportava das localidades onde residiam para a escola numa carrinha de uma junta de freguesia do interior do concelho, para a qual trabalhava desde 2002.
Segundo a acusação, o homem aproximava-se para acariciar as vítimas, todas meninas, quando lhes colocava o cinto de segurança ou quando as auxiliava a subir ou descer os degraus do veículo.
Uma das vítimas foi «agarrada e empurrada com força» para dentro da viatura e depois levada pelo alegado agressor até um barracão isolado, onde terá tentado consumar relações sexuais.
Para calar as meninas, oferecias-lhe chupa-chupas e ameaçava-as que lhes batia se contassem aos pais.
O presumível agressor foi detido pela Polícia Judiciária em 2010 e aguarda julgamento com termo de identidade e residência e pulseira electrónica, por não possuir antecedentes criminais.
O arguido é acusado de crimes, cuja condenação pode ir dos seis aos 25 anos de prisão, a pena máxima permitida em Portugal.

Fonte: Lusa/SOL