Franky Vercauteren já tomou o pulso ao plantel, já sabe com que linhas tem de coser a equipa rumo ao sucesso, às vitórias que afastadas têm andado neste arranque de temporada.
A preocupação não está afastada de Alvalade e da academia, em Alcochete, mas uma coisa é certa: não falta confiança, como conta o técnico belga a A BOLA.
Na passada semana, Franky Vercauteren já estivera junto do plantel mas era Oceano Cruz quem comandava ainda a nau.
Agora já é o belga e dois treinos sob o seu comando bastaram para confirmar um dos motivos que o levou a aceitar, de pronto, o desafio leonino: a qualidade da matéria prima.
«Nunca tive dúvidas sobre a qualidade dos jogadores», confessa e aponta já a domingo:
O próximo jogo, com o Vitória de Setúbal, é difícil, como todos sempre são, mas vejo os jogadores motivados. As coisas difíceis são para enfrentar e estamos sempre confiantes.
Apesar do momento de crise, Franky Vercauteren diz a A BOLA que encontrou um grupo de jogadores pronto para enfrentar o desafio de frente, de cabeça levantada, pronto para dar o peito às balas.
Mas o que disse, afinal, Vercauteren quando encontrou o plantel depois do empate com a Académica?
«Passado é passado e foi isso que dissemos, que têm de ter em conta a situação mas esquecer e trabalhar para dar a volta, seguir em frente», conta-nos o técnico belga.
O treino de ontem na Academia, para Vercauteren, não foi muito duro, algo que, por exemplo, o camisola 16 dos leões, Valentín Viola, não concorda, como escreveu na sua conta Twitter.
«Depois de um treino duro não aguentei e tive de fazer uma sesta. Passei a noite com os olhos sempre muito abertos», desabafou o avançado.
O treinador sportinguista revela que nesta altura tem «ainda que interromper muitas vezes o treino» para mostrar o que quer ao grupo.
«Estamos a mostrar o que pretendemos. Mas os jogadores estão a assimilar bem», garante, mostrando satisfação com o trabalho já desenvolvido.
A preparação do Sporting para a deslocação ao Estádio do Bonfim continua hoje, às 10.30 horas, com Vercauteren sempre de olhos postos em ajudar a equipa a dar a volta por cima a uma situação tão delicada.

Fonte: A Bola