A agência de notação financeira Fitch acredita que Portugal vai demorar mais tempo do que o previsto a regressar aos mercados de financiamento internacionais e que necessitará mesmo de um segundo resgate.
«O nosso entendimento é que Portugal vai receber mais ajuda oficial antes de regressar aos mercados», afirma a agência de notação financeira Ficth, em comunicado.
A agência justifica o entendimento de que Portugal vai demorar mais tempo a regressar aos mercados do que Setembro de 2013 (o objectivo inicial) com as fracas perspectivas económicas, a dimensão do ajustamento orçamental e a natureza «frágil» da dívida soberana da zona euro.
Seria preciso uma «melhoria significativa do sentimento» dos mercados para Portugal regressar no próximo ano, acrescenta.
Para a Fitch, é «provável» que os bancos portugueses regressem aos mercados de financiamento internacionais enquanto Portugal deverá «continuar excluído».
A empresa de notação de crédito disse hoje que a emissão de dívida pelo BES, feita a semana passada, é um «sinal» de que os mercados de financiamento podem reabrir para os outros bancos portugueses.

Fonte: Lusa/SOL