Nem negligência nem erro humano. O Hospital de Viana do Castelo disse ontem que não há indícios de engano no caso da recém-nascida que sofreu uma hemorra- gia no umbigo durante cinco horas, devido ao deslizamento da mola do cordão umbilical. Os pais da bebé dizem que a unidade está a "desviar o assunto" e continua sem se explicar.



"Apesar de não haver indícios de negligência ou erro humano, foi aberto um processo de inquérito para esclarecimento cabal da situação", anunciou o hospital em comunicado.

"Isto é ridículo e típico de quem quer desviar todas as atenções do processo. Ainda não nos contactaram. Continuo sem saber o que aconteceu, se a mola foi mal colocada ou escorregou", disse José Gonçalves, pai de Maria José, que nasceu a 16 de Outubro.

A revolta da família é grande porque, dizem, mesmo nos sete dias de internamento da criança nos Cuidados Intensivos, o hospital nunca falou com eles. A unidade diz que "a situação clínica do recém-nascido não teve a gravidade que a subjectividade emocional dos pais transmite" e "não esteve nunca em risco de vida". Magoados, os pais adiantam que só pensam em processo judicial se a bebé tiver lesões.

cm