O líder do PS, António José Seguro, afirmou hoje que o Governo não contará com os socialistas na intenção de cortar quatro mil milhões de euros nas funções sociais do Estado.
«Se é para cortar quatro mil milhões nas funções sociais do Estado, o Governo não conta connosco. Os portugueses podem contar com o PS para apresentar alternativas sérias e concretas para garantir a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde, da escola pública e da segurança social», afirmou António José Seguro aos jornalistas, à entrada para a sessão de encerramento do XVII congresso nacional da Juventude Socialista (JS), que decorre em Viseu.
Questionado sobre a carta enviada a Passos Coelho, em que o primeiro-ministro pedia a colaboração do maior partido da oposição naquilo a que chamou de «refundação» do memorando, uma reavaliação das despesas do Estado em funções sociais, o líder socialista disse: «o PS nunca virou nem vira as costas ao diálogo institucional. Este é um partido responsável mas que está muito firme nas suas convicções».
«[O PS é] intransigente na defesa do estado social», frisou.
«O Governo propõe cortes no estado social como solução para o viabilizar, nós não concordamos que a solução seja cortar no estado social, destruí-lo para o salvar», sustentou.

Fonte: Lusa/SOL