O bastonário da Ordem dos Farmacêuticos, Maurício Barbosa, defendeu ontem a necessidade de remuneração do acto farmacêutico, a exemplo do que acontece na Bélgica, Holanda, Alemanha e Suíça.



"Sempre que uma farmácia faz uma dispensa de um medicamento, está a praticar um acto farmacêutico e deve ser remunerada por esse acto", referiu , no Congresso Nacional dos Farmacêuticos, em Lisboa.

Ou seja, na deslocação do doente à farmácia para comprar um medicamento, a posterior recomendação do farmacêutico por determinada marca terá de ser paga. No final do congresso, o secretário de Estado da Saúde, Fernando Leal da Costa, sublinhou o trabalho dos profissionais na defesa do Serviço Nacional de Saúde.

cm