Ao ver os dois amigos sem sentidos no chão, após o carro em que seguiam se ter despistado e capotado por uma ribanceira de 50 metros, anteontem à noite, em Cerdelo, Boticas, Agostinho Teixeira subiu a encosta e, no meio da escuridão, pediu ajuda a um carro que passava. No entanto, o colega Eduardo Leite, 53 anos, não conseguiu resistir às lesões internas e morreu no local.



"Depois de cairmos na ribanceira ainda falei com eles e prometi-lhes que ia buscar ajuda. Só que não sabia onde estava e só tinha um isqueiro para me iluminar. A zona era de difícil acesso e não passavam muitos carros", disse ao CM Agostinho Teixeira, ainda bastante abalado ao recordar o acidente, na EM211, e do qual ainda resultou um ferido grave, Abílio Faria, condutor do Nissan Patrol. Está ainda internado no Hospital de Chaves.

Os amigos tinham combinado ir limpar um terreno de Abílio, no entanto, devido à chuva, resolveram ir comprar castanhas para fazer um magusto. O acidente deu-se no regresso a casa. "Perdemos o controlo do carro numa curva. Eu fui o primeiro a ser projectado", frisou o sobrevivente. Eduardo, residia em Pombeiro de Ribavizela, Felgueiras, deixa dois filhos.

cm