Diamantino Vicente acusado de desviar dinheiro de cemitério para mulher fazer cruzeiro .



"Inocente" e vítima de "arranjos políticos". Foi desta forma que o ex-presidente da Junta de Freguesia de Casével se apresentou ontem no Tribunal de Santarém, onde começou a ser julgado por dois crimes de peculato, um de peculato de uso e falsificação de documento.

Diamantino Vicente, 61 anos, está acusado de ter desviado um cheque de 750 euros destinado à compra de uma laje fúnebre para o cemitério, usando o dinheiro para reservar um cruzeiro marítimo que queria oferecer à mulher pelos 25 anos de casamento. E de ter falsificado a factura de uma moldura que lhe foi paga pela junta de freguesia, bem como de uso indevido de verbas transferidas pela Câmara de Santarém, das quais se serviu para pagar obra a empreiteiros.

Na sessão de ontem, o arguido explicou os seus actos ao colectivo de juízes, garantindo ter agido sempre de boa-fé.

cm