Número de nascimentos de bebés prematuros aumentou 20 a 30%

Em Portugal nascem, por ano, cerca de 1.000 bebés prematuros (menos de 32 semanas) e nos últimos anos registou-se um aumento entre 20 a 30 %, alertou hoje um membro da Fundação Europeia para os Cuidados do Recém-Nascido.
Não está identificada uma causa principal para a prematuridades estar a aumentar, mas pensa-se que o crescente número de bebés prematuros esteja relacionado com factores como «infecções intra-uterinas», «hábitos da vida moderna», «mães fumadoras» e «stresse», enumera a especialista Hercília Guimarães.
Em entrevista à Lusa no âmbito do Dia Mundial da Prematuridade, que se assinala a 17 de Novembro, Hercília Guimarães referiu que a prematuridade tem registado um aumento global na ordem dos «20 a 30 %», números aos quais Portugal não foge e que «um em cada 10 bebés nasce prematuro».
Portugal, Grécia, Hungria, Inglaterra e o País de Gales são países nos quais se registam aumentos de prematuros acima da média europeia, identificou a ex-presidente da Sociedade Portuguesa de Neonatologia e actual chefe do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina do Porto.
A especialista alerta o Governo e os hospitais para uma mudança de paradigma no tratamento daquele problema social.
«É preciso fazer perceber aos serviços hospitalares, aos serviços de saúde, aos ministérios, ao Governo e a quem tem poder que é preciso modificar os hospitais, é preciso que os hospitais (...) tenham condições para receber o pai, a mãe, a família».
Segundo o membro da Fundação Europeia para os Cuidados do Recém-Nascido, «cada vez mais os cuidados devem ser centrados no desenvolvimento e na família, com os pais cada vez mais junto dos filhos a cuidar deles em parceria com os profissionais».
Assinalar o Dia Mundial da Prematuridade é de certo modo «chamar a atenção para um problema que existe» e que pode ter consequências muito pesadas para a sociedade, caso não seja feito tudo o que é necessário para tratar e proteger da melhor maneira estes bebés», argumenta.
O Dia Mundial da Prematuridade vai ser assinalado no Centro de Congressos da Alfândega do Porto com intervenções do presidente executivo da Fundação Europeia para os Cuidados do Recém-Nascido, Silke Mader, Hercília Guimarães, o bispo do Porto, Manuel Clemente, o pediatra e autarca Luís Filipe Menezes e a psicóloga Sara Almeida.

Fonte: Lusa/SOL