Oito arguidos privados de liberdade por vários roubos e coação sexual

O Tribunal de Sesimbra decidiu que oito arguidos acusados de vários crimes de roubo agravado, roubo simples e coação sexual vão ficar privados de liberdade, cinco em prisão preventiva e três com obrigação de permanência na residência.
Segundo uma nota da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) na sua página da Internet, os arguidos, todos residentes em Setúbal, tinham um "caráter altamente organizado da atuação criminosa" e entre 20 de agosto de 2011 e 09 de maio de 2012 praticaram vários crimes, existindo 21 ofendidos.
Os homens estão acusados de 12 crimes de roubo agravado, dois de roubo simples, quatro de coação sexual, dois de coação, um de violação agravada, um de ofensa à integridade um de detenção de arma proibida e um de tráfico.
"Os arguidos gizaram um plano que lhes permitisse angariar valores e quantias monetárias, através de assaltos, ora em estabelecimentos de abastecimento de combustível, quer em restaurantes, ora abordando ofendidos agrupados ou isolados, apeados ou em viaturas", refere o documento.
A PGDL acrescenta que os arguidos estavam sempre munidos de armas de fogo que "exibiram, apontaram, encostaram ao corpo das vítimas ou, no limite, colocaram no céu-da-boca dos ofendidos".
Os homens agrediam "violentamente e gratuitamente" as vítimas e existem casos em que, após roubarem os bens ou dinheiro, cometeram crimes sexuais.
À exceção de um arguido, e apesar de jovens, todos têm antecedentes criminais e um dos detidos já foi alvo de uma pena de prisão, em Sesimbra, por "violações reiteradas" através de sedução por uma rede social.
Os indivíduos atuaram em Sesimbra, Moita e Setúbal e as autoridades, durante a investigação, realizaram buscas, interceções telefónicas e vigilância.
"Todos os arguidos estão privados da liberdade. Cinco em prisão preventiva e três em obrigação de permanência na habitação, com vigilância eletrónica", concluiu.

Fonte: Jornal de Notícias