O Tribunal da Relação de Évora anulou o acórdão do Tribunal de Santarém sobre o processo em que um agente da PSP ficou desfigurado, ao ser atingido por uma rosca metálica que saltou de um comboio em andamento.



O processo volta à primeira instância, para reformulação da decisão que condenava um maquinista, um inspector de tracção e um chefe de equipa da CP a um ano de cadeia, suspensa, e a pagarem 45 mil euros de indemnização ao agente da PSP.

A decisão da Relação tem a ver, sobretudo, com o facto de o acórdão não estabelecer a velocidade do comboio no momento em que a peça se soltou e atingiu a vítima. O caso, em 2003, na linha do Norte, já levou o agente a fazer mais de 40 cirurgias.

cm