Perspectivas de crescimento na zona euro mantém-se fracas em 2013

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou hoje que as perspectivas de crescimento da zona euro para o próximo ano vão continuar a ser fracas, apesar de melhorias na confiança dos investidores.
«Olhando para o próximo ano, é esperado que o impulso do crescimento se mantenha fraco. Continua a ser apoiado pelas nossas medidas de política monetária padrão e excepcionais», lembrou Draghi, na conferência de imprensa após a primeira reunião mensal do BCE.
O presidente do BCE reconheceu que a taxa de inflação da zona euro deverá continuar acima dos 2% este ano, mas disse esperar que caia para baixo dessa linha já no próximo ano.
"Com base nos preços previstos para o petróleo, as taxas de inflação podem permanecer em níveis elevados, antes de caírem para menos de 2% no decurso do próximo ano. No horizonte de política relevante, num ambiente de crescimento modesto na zona euro e de expectativas de inflação bem ancoradas, as pressões de preços subjacentes deverão manter-se moderadas", referiu Draghi, na sua intervenção inicial.
O BCE decidiu hoje manter as taxas de juro directoras da zona euro no mínimo histórico de 0,75%, valor adoptado em Julho, em linha com as perspectivas dos analistas.
Draghi afirmou que «os riscos em torno das perspectivas económicas para a zona euro permanecem descendentes», ainda que tenham sido observadas «melhorias na confiança dos investidores na zona euro», em concreto no que toca ao fortalecimento da base de depósitos dos bancos de alguns países com problemas.

Fonte: Lusa/SOL