Assaltos a bancos crescem 55%

A cada semana, são roubadas três agências em todo o país. No primeiro semestre, houve 68 roubos – alguns praticados apenas por uma mulher, a maior assaltante de bancos de sempre.
Os assaltos a bancos dispararam. Nos primeiros seis meses deste ano, apurou o SOL, foram saqueadas 68 agências bancárias em todo o país, mais 24 (55%) do que no mesmo período de 2011 – ano que registou um total de 89 assaltos. Este é, aliás, um dos crimes que contrariam a tendência global de descida da criminalidade violenta anunciada esta semana.
Muitos destes roubos são cirúrgicos e planeados ao milímetro por gangues altamente organizados, que entram e saem do país após os ataques. O assalto a um banco em Évora, esta semana, é disso exemplo: em 20 minutos, uma dupla de encapuzados, com sotaque estrangeiro, sequestrou funcionários, limpou o cofre e a caixa ATM e fugiu com 150 mil euros.
A maioria das investidas, porém, é feita por solitários, geralmente afundados em dívidas ou em vícios. No início do ano, a Polícia Judiciária (PJ) deteve o ex-ciclista Carlos Teixeira, que assaltou duas dezenas de dependências. Não tinha cadastro e mantinha uma vida regular e discreta, mas a quantidade de dívidas atirou-o para o mundo do crime.
História idêntica é a de Dulce Caroço, de 44 anos, detida na semana passada.
Ex-proprietária de um cabeleireiro (que faliu após a investida das Finanças e da Segurança Social, que andara a enrolar), a mulher, elegante de modos e aparência, actuava essencialmente na linha de Cascais – o que lhe valeu, da parte dos investigadores da Unidade Nacional Contra-Terrorismo (UNCT), o petit nom de ‘tia’. Assaltou 12 instituições financeiras em cerca de um ano e meio.

Fonte: SOL