O milionário norte-americano George Soros está preocupado com a crise da dívida na zona euro e anunciou que vai doar parte da sua fortuna para ajudar a Grécia, país onde está a acontecer uma “crise humanitária”.
O investidor disse hoje que está disposto a “destinar uma soma importante de dinheiro, mesmo que os valores exigidos não estejam provavelmente dentro das minhas possibilidades".
Soros, nascido na Hungria, tem sido uma das principais vozes do outro lado do Atlântico a alertar para os riscos do agravamento da crise na Europa e da política de austeridade que tem vindo a ser imposta a vários estados-membros.
“A crise do euro está a ameaçar a coesão da Europa e o ideais por detrás da União Europeia”, disse George Soros numa conferência na Finlândia, citado pela Bloomberg.
“A ideia atraente de ter estados iguais devotos a objectivos comuns está sob ameaça, assim como existe uma divisão entre países. São os investidores e credores quem manda”, afirmou.
Apesar da sua voluntariedade, Soros reconhece que somente a sua ajuda “provavelmente não bastará para solucionar o problema” pelo que ajudar a Grécia deve fazer-se com um esforço conjunto de todos os europeus”.
O milionário de origem judia e que vivia na Hungria quando o país foi ocupado pelos nazis, criticou também a actuação da extrema-direita na Grécia, com o crescimento do partido Aurora Dourada que tem vindo a conquistar cada vez mais apoiantes. “Os imigrantes atacados por organizações neo-nazis devem ter uma protecção especial”, afirmou.
No entanto reconhece que ajudar os imigrantes pode vir a ser problemático: “Assim, ajudar-lhes sem dar uma solução global à crise que afecta o resto da população só vai provocar mais ódio”.






dinheiro vivo