Mais de 1400 militares da GNR vão fazer, no domingo, uma operação de fiscalização à condução sob influência de álcool, com o objectivo de combater a sinistralidade rodoviária.



Segundo a GNR, cerca de 563 acções serão direccionadas para as estradas nacionais, regionais e municipais com maior índice de sinistralidade rodoviária e locais de diversão nocturna, envolvendo militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos Comandos Territoriais da Guarda Nacional Republicana, num total de 1424 efectivos.

Numa nota enviada à Lusa, a GNR destaca estudos realizados que apontam para o aumento do risco de acidente quanto maior for a concentração de álcool no sangue, sendo que o risco aumenta duas vezes com uma taxa de álcool no sangue (TAS) de 0,50 gramas por litro (g/l), cinco vezes para uma TAS 0,80 g/l e 16 para valores de 1,20 g/l.

Em Outubro, altura em que decorreu uma operação semelhante, a GNR fiscalizou 13.145 condutores dos quais 573 circulavam com uma taxa de álcool no sangue (TAS) superior ao permitido por lei (0,50 gramas/litro). Destes, 207 foram detidos por apresentarem uma TAS superior a 1,20 gramas/litro.

Durante a operação foram ainda detidos 28 condutores por condução sem habilitação legal (falta de carta de condução) e levantados 1888 autos de contra-ordenação por infrações ao Código da Estrada e outra legislação complementar.

cm