Acusado de cumplicidade com o mordomo do Papa Bento XVI
Informático do Vaticano condenado a dois meses de pena suspensa


O Tribunal do Vaticano condenou neste sábado a dois meses de prisão, com pena suspensa, o informático do Vaticano, Claudio Sciarpelletti, acusado de cumplicidade com o mordomo do Papa Bento XVI no furto de documentos confidenciais ('VatiLeaks').

Informático no Vaticano há 20 anos, Claudio Sciarpelletti, de 48 anos, cidadão italiano, foi acusado por cumplicidade com o mordomo do Papa, Paolo Gabriele.

O Ministério Público pediu quatro meses de prisão, mas estes foram reduzidos para dois por ter colaborado com a justiça e não ter antecedentes penais. A defesa do informático, por seu lado, tinha pedido a absolvição.

O ex-mordomo de Bento XVI, Paolo Gabriele, de 46 anos, foi condenado a 18 meses de prisão, a 6 de Outubro.

C.da Manha