Catalunha: Artur Mas mostra ambição no arranque da campanha
“Só com maioria nos levam a sério”


O presidente da CiU, Artur Mas, pediu ontem, no arranque da campanha para as eleições de 25 de Novembro na Catalunha, uma "maioria excepcional" para reforçar o seu projecto independentista e convencer Madrid de que não há outro caminho.

"Em Espanha não esperam nem desejam uma derrota da ERC, do PSC ou do PP. A única coisa que querem é uma derrota da CiU", afirmou Mas no comício de arranque da campanha em Barcelona.

"Só com uma maioria excepcional seremos levados a sério", avisou o líder da CiU, que prometeu que o seu primeiro acto se vencer as eleições será convocar todos os partidos para estabelecer as bases em que será convocado o referendo independentista, que acontecerá no prazo máximo de 4 anos. "As próximas eleições são o ponto de partida para uma etapa que não tem marcha-atrás", prometeu.

Já o Partido Socialista da Catalunha (PSC) abriu a campanha com uma forte defesa do federalismo frente àquilo que diz ser "a cortina de fumo da independência". Para o líder socialista, Pere Navarro, o desafio de Mas não passa de uma forma de esconder o triplo fracasso da incapacidade de recuperar a economia, da falta de alternativas aos cortes sociais e do desaire do pacto fiscal.

O PP assumiu-se, por seu lado, como "a única força política que defende sem complexos que a Catalunha faz parte de Espanha". "Esta é a campanha mais importante das nossas vidas. Está em jogo o nosso futuro, dos nossos filhos e dos nossos netos", dramatizou a líder regional Alicia Camacho.

C.da Manha