O assalto à mão armada e em plena luz do dia a uma loja de venda de ouro usado, no dia 25 de Outubro, no centro de Sines, gerou uma onda de preocupação na cidade. A população e as autoridades relacionam o aumento da criminalidade ao consumo e tráfico de droga.



"A toxicodependência está na origem da criminalidade ocorrida em Sines, ligada, sobretudo, ao furto de metais não preciosos e a estabelecimentos de restauração e bebidas. Todos os anos temos um elevado número de pessoas identificadas e detidas por tráfico e consumo de droga", explica fonte da GNR.

Os furtos em residências são também dos crimes mais participados. "Neste caso estamos a falar de gangues com redes ligadas ao estrangeiro que actuam na cidade, mas também em todo o País", refere Manuel Coelho, presidente da Câmara de Sines.

O autarca considera preocupante o número de assaltos por esticão na via pública e associa a elevada criminalidade na cidade ao facto de ser o principal pólo empregador na região. "O município de Sines é o que tem mais poder de compra e isso atrai não só os trabalhadores, mas também as pessoas que vivem à margem da lei", adianta

cm