Quatro turistas espanhóis esperavam o comboio para Sintra, na estação da CP Queluz- Belas, no sábado à tarde, quando os três assaltantes avançaram. Uma jovem de 18 anos ficou sem a mala e um fio de ouro, arrancado do pescoço com violência.



Nessa altura, um revisor que estava a entrar no comboio tentou evitar o assalto e viu que um dos ladrões tinha deixado cair um telemóvel que acabara de roubar. Apanhou-o para levar à esquadra. Os três ladrões viram-no e agrediram-no. Depois fugiram.

"Quando vi que eles tinham deixado cair o telemóvel apanhei-o para ir à PSP apresentar queixa, mas um deles [assaltantes] viu e correu atrás de mim. Entrei no comboio e tentei fechar as portas, mas como demora sempre uns segundos dois dos ladrões conseguiram apanhar o casaco da farda e rasgaram-no", contou ao CM o revisor.

Depois de atirarem a vítima contra a porta e a agredirem, os assaltantes conseguiram recuperar o telemóvel. Luís Bravo, presidente do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante, reclama mais polícias. "Estamos sozinhos, simplesmente. Só temos mais segurança no Verão quando a PSP está visível por causa das praias", disse.

cm