31 sindicatos da UGT emitem pré-avisos de greve

Cerca de 30 sindicatos da UGT emitiram pré-avisos de greve para quarta-feira contra as medidas de austeridade previstas na proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2013.Apesar da UGT se ter demarcado da greve geral convocada pela CGTP por considerar que esta foi motivada por questões político-partidárias, 31 dos seus sindicatos marcaram greve para a mesma data contra o agravamento das medidas de austeridade e no âmbito de uma jornada de luta convocada pela Confederação Europeia de Sindicatos (CES)
O Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes, o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública, Sindicato Democrático dos Trabalhadores das Comunicações e dos Media (SINDETELCO), o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), e a Federação dos sindicatos da Indústria e Serviços são algumas das estruturas filiadas na UGT que emitiram pré-aviso de greve para quarta-feira.
A UGT reconheceu, em comunicado, que existem «motivos específicos e gerais» para o protesto dos sindicatos que decidiram apresentar um pré-aviso de greve para quarta-feira.
«Existem motivos específicos e motivos gerais que justificam o protesto, tais como a exigência de diálogo e negociação, particularmente na Administração Pública e no Sector Empresarial do Estado, e as muitas situações de bloqueamento da negociação colectiva e aumento acentuado de desemprego no sector privado», considerou a União Geral dos Trabalhadores (UGT).
Segundo a central sindical, «alguns sindicatos da UGT depositaram pré-avisos de greve visando a unidade na acção ou greves convergentes contra esta austeridade».
Mas a UGT salientou também que «existem motivos para muitos sindicatos entenderem não ser este o momento para uma greve (mesmo que tenham depositado pré-avisos para melhor defenderem os seus associados que a queiram fazer), quer por razões ligadas à génese desta greve, quer por entenderem que melhor defendem o interesse dos seus filiados seguindo a via do diálogo ou promovendo acções de luta noutras datas».
A greve geral de 14 de Novembro foi convocada pela CGTP em protesto contra o agravamento das políticas de austeridade e em defesa de políticas alternativas que favoreçam o crescimento económico.
A greve geral conta ainda com a adesão de 28 sindicatos independentes.

Fonte: Lusa/SOL