O Ministério da Defesa publicou ontem a lista de 25 imóveis que quer vender para tapar o buraco de cerca de 30 milhões de euros do Fundo de Pensões dos Militares das Forças Armadas.



Os quartéis de Sapadores, em Lisboa, e da Azeda de Baixo, em Setúbal, tal como o da Quinta Nova de Queluz, integram o conjunto de imóveis à venda. Trata-se de colmatar "necessidades de curto prazo", admite a resolução de Conselho de Ministros publicada ontem em Diário da República, pelo que se trata de agilizar os processos de forma a uma "rentabilização imediata". Em causa estão verbas para o Fundo de Pensões que conta com mais de 12 mil beneficiários militares.

A alienação dos 25 imóveis será feita através de hasta pública ou por negociação, admitindo a mesma resolução que possa ainda ser feita por ajuste directo.

O processo será conduzido pela Direcção-Geral do Tesouro e Finanças em colaboração com a Direcção-Geral de Armamento e Infra-Estruturas de Defesa.

Recorde-se que o ministro da Defesa, Aguiar-Branco, tinha sublinhado no Parlamento a necessidade de cumprir estes pagamentos ao Fundo de Pensões dos Militares.

cm