O fornecimento "a conta-gotas" de vacinas gratuitas contra a gripe está a condicionar a campanha de vacinação da Câmara de Mértola, que está suspensa e já parou várias vezes por falta de vacinas, segundo o presidente do município.



O número de vacinas que o Centro de Saúde de Mértola tem recebido da Direcção-Geral de Saúde (DGS) tem sido "manifestamente insuficiente para dar resposta às necessidades de todos os utentes", disse hoje à Lusa o presidente da Câmara de Mértola, Jorge Rosa.

Por isso, explicou, a autarquia tem recebido as vacinas do Centro de Saúde de Mértola "a conta-gotas" e a Unidade Móvel Médico Social de Mértola "não tem conseguido realizar a campanha de vacinação como estava previsto".

A situação está a "condicionar" a campanha, que arrancou a 22 de Outubro e devia terminar hoje, mas está, actualmente e "mais uma vez", suspensa, devido à falta de vacinas, lamentou o autarca.

A campanha já parou e foi retomada várias vezes, consoante a disponibilidade de vacinas, disse, referindo que a unidade ainda só conseguiu vacinar contra a gripe 300 dos 1300 utentes com 65 ou mais anos abrangidos e que este ano têm direito às vacinas de forma gratuita e que são fornecidas pela DGS aos centros de saúde.

Jorge Rosa lamentou a situação e disse que o município está a aguardar que a DGS entregue mais vacinas ao Centro de Saúde de Mértola para a unidade poder continuar a campanha, que, devido à situação, não tem prazo definido para terminar.

A Lusa questionou hoje a Unidade de Saúde Local do Baixo Alentejo sobre a situação, mas não obteve respostas em tempo útil.

cm