PSP deteve grevista por agredir agente

Um homem que estava no piquete de greve dos autocarros da Carris, na estação da Musgueira, em Lisboa, foi hoje detido por tentar agredir um agente da polícia, disse à Lusa fonte da PSP.
"Um elemento do piquete de greve foi detido por resistência e tentativa de agressão a um agente da autoridade", disse o comissário Santos, da Polícia de Segurança Pública (PSP).
O secretário-geral da GCTP, Arménio Carlos, disse hoje à Lusa que a o Governo tem estado a tentar impedir o direito à greve por parte dos trabalhadores, ao enviar polícia de choque para junto de algumas estações de transportes públicos.
Uma acusação que a mesma fonte da PSP desvalorizou, garantindo que a polícia montou “um dispositivo normal e habitual” para as situações de greve, por forma a minimizar qualquer ocorrência mais graves".
"Fomos utilizando os meios que tivemos à nossa disposição e tivemos necessidade de nos socorrer do corpo de intervenção para retirar alguns elementos dos piquetes de greve que estavam a tentar impedir a saída de autocarros da Carris e da Vimeca.
Ao negar a utilização de "polícia de choque", o comissário Santos disse que a força do corpo de intervenção foi "utilizada durante 20 minutos a meia hora, até cerca das 06:00, até repor a normal situação, ou seja, até garantir que os organizadores e os piquetes de greve conseguissem exercer a sua função, mas também quem quisesse trabalhar que o pudesse fazer sem que houvesse qualquer interferência".
Além da estação da Musgueira, o mesmo dispositivo policial foi utilizado na estação da Pontinha e estação da Vimeca em Barcarena, indicou.
"Vamos utilizar o dispositivo que temos utilizado nas manifestações que vão decorrer ao longo do dia todo", concluiu, remetendo mais esclarecimentos durante o dia.

Fonte: Lusa/SOL