O escândalo que abala a cúpula do poder militar dos EUA não pára de alastrar. Sabe-se agora que Paula Broadwell, a amante de David Petraeus, ex-director da CIA, também enviou emails ao comandante das forças da NATO no Afeganistão, general John Allen, alertando-o para um eventual envolvimento com Jill Kelley, a ‘socialite’ que Paula julgava ter arruinado o seu affaire com Petraeus. Tarde demais: Allen e Kelley trocavam, desde há dois anos, emails íntimos, descritos como "iguais a sexo por telefone".



Em Maio, sensivelmente na mesma altura em que Jill Kelley começou a receber emails ameaçadores instando-a a afastar-se de Petraeus, o general Allen recebeu no seu mail pessoal várias mensagens assinadas sob o pseudónimo ‘PatrulhaKelley’, avisando-o para não se envolver com a conhecida organizadora de festas para altos comandos militares e suas famílias. As mensagens diziam ainda que Kelley não passava de uma "sedutora" com uma paixão por altas patentes militares.

Nada que Allen não soubesse já: nos últimos dois anos, o comandante das forças da NATO no Afeganistão trocara "entre 20 mil e 30 mil mensagens" de email com Kelley, parte delas consideradas "inapropriadas" pelo Pentágono. O general negou terminantemente ter mantido qualquer affaire com Kelley, mas fonte próxima da investigação disse ontem que o teor de alguns dos emails é "bastante explícito". "É o equivalente a sexo por telefone, mas por email", disse a fonte.

O FBI admitiu, entretanto, que Paula tinha na sua posse "informações militares classificadas", o que poderá agravar as implicações do escândalo. Paula, recorde-se, acompanhou durante três anos todos os passos de Petraeus para escrever a sua biografia, mas não tinha autorização para aceder a essas informações. Se foi Petraeus quem lhas facultou, este pode estar em maus lençóis.

"ATIRA-SE A TODOS OS OFICIAIS"

A mulher no centro de um escândalo que já pôs em causa a carreira de dois generais dos EUA "atirava-se de forma descarada" a todos os comandantes que convidava para festas em sua casa, em Tampa, Florida, afirmou ontem uma amiga de Jill Kelley.

"Ela é uma mulher muito sensual e sabe disso", afirmou ao jornal britânico ‘Daily Mail’, sob anonimato, uma amiga de Kelley, frisando que ela "tem sempre um ar requintado, nos seus vestidos de marca e calçada com sapatos de saltos altos".

Durante as festas na mansão de 1,3 milhões de dólares que partilha com o marido, um cirurgião, Kelley "atirava-se a todos os oficiais de alta patente, pousava as mãos nos seus braços, acarinhava-os, dava-lhes toda a atenção". Perante isto, "percebe-se que enfeitiçasse tantos homens".

cm