O braço armado do Hamas, movimento radical islâmico que controla a Faixa de Gaza, prometeu esta quarta-feira ripostar contra Israel por causa da morte do seu chefe, Ahmad Jaabari, afirmando que "foram abertas as portas do inferno".



Um comunicado das Brigadas Ezzedine al-Qassam afirma que os combatentes do Hamas "choram um dos seus principais chefes, Ahmad Jaabari", reafirmando o compromisso de "continuar no caminho da resistência". "O ocupante abriu sobre si as portas do inferno", adianta o comunicado.

O chefe das operações militares do Hamas, Ahmad Jaabari, foi morto hoje num ataque israelita contra uma viatura em Gaza, segundo fontes médicas e de segurança palestinianas.

"O mártir é Ahmad Jaabari", disse um médico do serviço de urgência do hospital Al-Chifa, na faixa de Gaza, informação confirmada por fontes da segurança do Hamas.

O porta-voz do exército israelita, Avital Liebovich, confirmou aos jornalistas a morte do líder militar do Hamas, considerando que "a eliminação" de Ahmad Jaabari é o início de uma operação militar contra grupos armados na faixa de Gaza.

"Após os disparos de "rockets" dos últimos dias, o chefe de estado-maior (general Benny Gantz) decidiu autorizar uma operação contra as organizações terroristas de Gaza, o Hamas, a Jihad islâmica e outras organizações", disse Avital Liebovich.

cm