A Zona Euro entrou em recessão, com a economia a registar uma quebra de 0,1% no terceiro trimestre deste ano. Este valor coloca a região em recessão técnica, uma vez que são já três trimestres sucessivos de contração. Nem o razoável comportamento da França e da Alemanha obstaram a este resultado. Já no conjunto da União Europeia, o PIB aumentou 0,1% no mesmo período.





No segundo trimestre deste ano, as economias da zona euro e da União Europeia (UE) haviam registado quedas de 0,2%. Em Portugal, a economia voltou a contrair no terceiro trimestre deste ano, pelo oitavo trimestre consecutivo, com o PIB a cair 0,8% em relação aos três meses anteriores e a recuar 3,4% face ao período homólogo, tal como divulgou o Instituto Nacional de Estatística (INE) na quarta-feira.

Portugal registou a maior queda entre os Estados-membros, enquanto os maiores crescimentos pertenceram à Letónia e à Estónia (1,7% em ambos os países). Na comparação com o terceiro trimestre de 2011, o PIB recuou 0,6% na zona euro e 0,4% na União a 27.
Inflação

Entretanto, foi também divulgado que a taxa de inflação anual na zona euro fixou-se nos 2,5% em outubro, menos 0,1 pontos percentuais do que em setembro. Este valor está em linha com o divulgado pelo gabinete de estatísticas da União Europeia (UE) na estimativa rápida de 31 de outubro.

Em Portugal, a taxa de inflação homóloga fixou-se nos 2,1% em outubro, menos 0,8 pontos percentuais do que em setembro, tal como divulgou o Instituto Nacional de Estatística (INE), na terça-feira.

Entre os países que partilham a moeda única, Portugal registou a segunda taxa de inflação mais baixa, acompanhado pela Alemanha, Irlanda e França (todos com taxas de 2,1%) e apenas superado pela Grécia (0,9%).

No conjunto da UE, a taxa de inflação anual foi de 2,6% em outubro, contra os 2,7% observados em setembro. Entre os Estados-membros, as taxas mais baixas foram observadas na Grécia (0,9%), na Suécia (1,2%) e na Letónia (1,6%), enquanto as mais elevadas pertenceram à Hungria (6%), à Roménia (5%) e à Estónia (4,2%).

A taxa anual de inflação mede a variação dos preços entre o mês em análise e igual período do ano anterior e avalia áreas como transportes, telecomunicações, educação e comércio.








dinheiro vivo