Ricardo Quaresma pediu ontem desculpa, através da sua página no Facebook, por ter ferido quarta-feira à tarde um agente da PSP à porta do Campus de Justiça, em Lisboa. "As coisas não me têm corrido da melhor maneira, o que me leva, por vezes, a ter a cabeça quente, mas isso não é desculpa para os meus actos", diz o jogador da Selecção.



"Peço desculpa às pessoas que me apoiam e à pessoa envolvida [um agente da PSP agredido]", conclui Ricardo Quaresma, que acabou detido na sequência dos desacatos, quando perseguia duas mulheres que tinham tentado roubar a sua mãe.

O futebolista já regressou à Turquia, onde representa o Besiktas. Estava notificado para se apresentar ontem na Pequena Instância Criminal, mas o julgamento acabou por ser adiado.

O incidente aconteceu depois de o jogador prestar declarações no processo de um assalto à mão armada, em que foi vítima. Quaresma foi apanhado em duas contradições durante a sessão – em relação à descrição que fez sobre as ameaças dos assaltantes e em relação à forma com um deles foi identificado. Foi extraída uma certidão por falsidade de depoimento, que será entregue ao Ministério Público para investigação.

cm