A procuradora Marianela Figueiredo ameaçou, ontem, pedir revisão da sentença – em caso de absolvição – por causa dos falsos testemunhos. A magistrada alertou que o faria se as testemunhas no processo das corridas ilegais na A1, que está ser julgado no Tribunal de Estarreja, persistam no que considera serem mentiras.



"O que se passa neste julgamento é absolutamente sinistro. É uma vergonha, mas o MP não vai abrir mão dos meios legais que tem para alterar isto tudo", afirmou a magistrada, depois de uma testemunha ter afirmado que não sabia quais os carros envolvidos nas corridas ilegais da A1, em 2007.

"Como o senhor está a mentir com quantos dentes tem, vou pedir para extrair certidão das suas declarações para lhe ser instaurado um processo-crime", disse a magistrada.

Das 11 testemunhas já ouvidas no julgamento, oito são suspeitas de crimes de falsas declarações e arriscam multas que podem chegar aos três mil euros ou penas de prisão até cinco anos. No banco dos réus estão 17 homens, com idades entre os 24 e os 39 anos, acusados de participarem em corridas ilegais (’street racing’) na A1, em Estarreja. Respondem por condução perigosa.

cm