O antigo governante Mira Amaral considerou esta quinta-feira que o sistema de contribuição para a Segurança Social é uma "aldrabice" e que as novas gerações de trabalhadores não deviam contribuir para um sistema que lhes vai falhar no futuro.



"As novas gerações deviam deixar de pagar para a Segurança Social. Isto é uma aldrabice", afirmou o responsável, numa conferência esta quinta-feira promovida pela SRS Advogados, em Lisboa. Segundo Mira Amaral, "o sistema de pensões é do Estado segurador e não do Estado Social. O Estado é que obrigou os trabalhadores a pagar para a protecção na velhice, mas depois baixa-lhes as pensões".

Por isso, apelidou o sistema de contribuição para a Segurança Social de "esquema Ponzhi", dizendo que é idêntico às manobras usadas pela Dona Branca e pelo investidor norte-americano Madoff, que prometiam um determinado retorno e depois falhavam aos investidores.

"A Dona Branca e o Madoff foram dentro. Na Europa, ninguém foi dentro", ilustrou, acrescentando que não percebe "como é que o Governo faz isto aos pensionistas, mas é incapaz de mexer nas rendas excessivas da EDP".

Por isso, o presidente do Banco BIC defendeu que "o Estado não tem capacidade moral de cortar nos pensionistas", acrescentando que "este nível de impostos sobre os portugueses é incomportável".

Para ilustrar, deu um exemplo da instituição bancária de capitais angolanos que dirige em Portugal: "Já tenho funcionários no Banco BIC Português a pedirem se podem ir para o BIC Angola. Isto era impensável há apenas um ano".

cm