A decisão da 4ª Vara Criminal de Lisboa, que mais uma vez rejeitou o pedido de libertação imediata de Vale e Azevedo, não deixa dúvidas.



O ex-presidente do Benfica tem ainda pela frente cinco anos e meio de cadeia, mas metade da pena (o cúmulo jurídico foi 11 anos e meio) já foi cumprida.

Cabe agora ao Tribunal de Execução de Penas elaborar o relatório social, para verificar se Vale e Azevedo poderá sair brevemente em liberdade condicional.

A decisão deverá ser conhecida dentro de uma a duas semanas. Refira-se que a 4ª Vara também fez provisoriamente a contagem da pena, tendo determinado que para já não deve ser considerada qualquer medida de coacção no Reino Unido, por não estar claro que estavam limitados os movimentos do advogado.

cm