Urbano Rodrigues Seco, 37 anos, ia a caminho do trabalho quando se deparou com um carro capotado em plena A1, na ponte de Sacavém, pelas 04h45 de ontem.



Imediatamente, parou o seu Ford Mondeo e correu em auxílio da condutora encarcerada. Segundos depois foi atingido brutalmente por uma carrinha Citroën Berlingo, conduzida por um comerciante. Teve morte imediata.

Segundo o CM apurou, excesso de velocidade e as condições climatéricas adversas estiveram na origem do despiste inicial, seguido de capotamento. Urbano Seco, empresário da área da construção civil, foi o primeiro a tentar auxiliar a condutora, de 32 anos, que estava encarcerada dentro do Citroën Xsara capotado. No entanto, o homem foi atingido por um terceiro veículo e esmagado contra os rails de protecção da A1. As outras duas vítimas do acidente também ficaram feridas e foram transportadas para o Hospital de São José, em Lisboa, mas o seu estado não inspira cuidados.

O acidente está a ser investigado pelo Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação do Destacamento da GNR do Carregado.

FAMÍLIA ACORDADA PELA PSP COM NOTÍCIA DA MORTE

A família de Urbano Rodrigues Seco, residente em Alverca, foi acordada ontem de manhã pela PSP com a triste notícia da morte do empresário. "Ainda estamos a tentar perceber o que aconteceu", disse ao CM Vítor Câmara, cunhado da vítima mortal, com o rosto lavado pelas lágrimas.

Na rua onde vivia, no bairro do Bom Sucesso, em Alverca, a tragédia era tema de conversa entre os vizinhos, ainda transtornados com a notícia.

Urbano Rodrigues Seco, 37 anos, era casado e deixa uma filha de 12 anos. O corpo foi transportado para o Instituto de Medicina Legal de Lisboa para ser submetido a autópsia.

cm