A aviação israelita destruiu na madrugada de ontem o quartel-general do líder do Hamas, Ismail Haniyeh, num ataque directo contra o símbolo do poder do grupo extremista que controla a Faixa de Gaza desde 2007.



A sede do governo do Hamas, onde ainda horas antes Haniyeh tinha recebido o primeiro-ministro egípcio, foi completamente arrasada pelas bombas israelitas. Haniyeh não se encontrava no edifício.

No total, Israel lançou mais de 200 ataques aéreos durante a madrugada, que fizeram pelo menos oito mortos, elevando para mais de 40 o número de vítimas palestinianas, na sua maioria civis. A zona circundante à Faixa de Gaza foi designada ‘zona de guerra’, sinal de que pode estar para breve uma incursão terrestre.

O Hamas voltou a responder com o lançamento de rockets contra áreas residenciais, fazendo pelo menos três feridos. Um míssil que se dirigia para Telavive foi interceptado e destruído pelo sistema de defesa antimíssil ‘Cúpula de Ferro’, que já travou centenas de ataques desde o início da semana.

cm