A recém-nascida encontrada na Praia das Maçãs, Sintra, foi afinal entregue a uma advogada pelos pais, poucas horas após o parto. A advogada de 48 anos, residente na Praia das Maçãs, que solicitou o anonimato, garantiu ao CM que não houve abandono.



"Não foi abandonada na rua, foi um pedido de socorro. Foi-me entregue em mãos pelos pais, que não têm condições para cuidar dela. Eles não foram negligentes", disse, garantindo que os progenitores foram ontem ver a menina ao hospital de Cascais, onde se encontra bem de saúde. Contactado pelo CM, o hospital não confirma a visita dos pais.

A advogada garante que não se trata de uma situação de barriga de aluguer e justifica a chamada das autoridades com o facto de ter ficado "em pânico". A mulher quer ajudar o casal e tomar conta da bebé. Mas a lei portuguesa não prevê esta situação. "Compete aos pais o exercício do poder paternal, não pode ser cedido a terceiros, não é transaccionável. Informalmente, até pode suceder mas juridicamente não", explicou ao CM um jurista.

AINDA TINHA O CORDÃO UMBILICAL

A criança tinha nascido há poucas horas quando foi observada pelos Bombeiros Voluntários de Colares no posto da GNR. "Ainda tinha a ponta do cordão umbilical e fizemos o estancamento. Mas estava em perfeitas condições de saúde", conta José Castro, chefe de piquete, que recebeu o alerta da GNR pelas 18h18. Para este bombeiro foi uma surpresa. "Foi a primeira vez que me deparei com uma situação destas. Não há assim tanta miséria nesta zona para se abandonarem bebés", afirmou.

cm