Só um dos clientes da Caixa de Crédito Agrícola de Penafiel, assaltada na madrugada de domingo através de um buraco na parede, reclama cinco quilos em barras de ouro – avaliados em 200 mil euros –, que diz estarem guardados num dos cerca de 50 cofres particulares arrombados.



O homem foi o primeiro a apresentar queixa, ontem, mas, nos próximos dias, muitos mais se seguirão. A entrega da relação dos bens levados no assalto milionário – que poderá englobar milhões de euros em dinheiro, jóias, relógios e moedas de colecção – está a ser feita faseadamente pelos lesados na GNR, após reunião, realizada também ontem, entre a administração da entidade bancária e responsáveis da Guarda.

Nesse encontro, o banco revelou que não dispõe de seguro, dado que os cofres são individuais e alugados aos clientes, que ficam responsáveis pelo seu conteúdo. O alarme disparou por três vezes, entre as 03h27 e as 06h17 de domingo, mas o assalto só foi descoberto à tarde.

cm