'Espero que a 'troika' não se vá embora antes da reforma da Justiça'

O ex-bastonário da Ordem dos Advogados José Miguel Júdice disse hoje que a reforma do sistema de Justiça português só será possível com o impulso das autoridades internacionais, porque internamente há muitos travões à mudança."Espero que a 'troika' (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) não se vá embora antes da reforma", afirmou o responsável, na sua intervenção na conferência "Crescer, um desígnio nacional", promovida na capital portuguesa pela Associação Comercial de Lisboa, com o apoio do SOL.
"Nós não fazemos as reformas quando são fáceis. Só quando são difíceis. Devíamos ter feito a reforma na Justiça no tempo das vacas gordas", considerou o advogado.
Realçando que os vários agentes do sistema, caso dos juízes, procuradores, advogados, funcionários, entre outros, impedem a reforma da Justiça porque têm "medo da mudança", Júdice reforçou que a alteração do sistema só pode ser feita com o "impulso do exterior".

Fonte: Lusa/SOL