Os cogumelos venenosos fizeram mais uma vítima mortal e deixaram um homem em estado grave, desta vez na região da Guarda. Ludovina Martins, de 64 anos, e João Correia, de 65, são emigrantes em França, mas estavam na aldeia da Torre, no Sabugal, a passar férias e a tratar da terra. O gosto por cogumelos revelou-se fatal: a mulher não resistiu a uma disfunção hepática aguda e acabou por morrer segunda-feira nos Hospitais da Universidade de Coimbra. O marido está em estado grave.

Segundo contou ontem ao CM António Machado, residente no Sabugal e amigo da família, o casal "comeu os tortulhos" na noite de quarta-feira da semana passada – ao que tudo indica da espécie amanita phalloides. Mas só na sexta-feira à noite pediram socorro aos amigos e ao INEM. "Estiveram durante dois dias a sofrer sozinhos, em morte lenta. Viviam sozinhos e na quinta--feira disseram-me, ao telefone, que estavam com diarreia, vómitos e dores de barriga", recorda António Machado, adiantando: "Disse-lhes para chamarem os bombeiros, mas preferiram ficar em casa em sofrimento."

Na sexta-feira ao fim da tarde foi à casa deles e encontrou-os na cama. "Estavam muito mal. Chamámos o INEM e foram para o centro de saúde, dali para o hospital da Guarda e depois para Coimbra. Infelizmente, a mulher não resistiu", lamenta-se António Machado. Os poucos habitantes da aldeia da Torre estão em choque. "Eles gostavam de cogumelos, mas correu mal", disse ontem Luísa Casilha, que garante "ter medo de comer" os fungos. "Nem aquilo que a terra dá é seguro comer", afirma Purificação Esteves. João Diogo, de 85 anos, soube ontem da morte da mulher: "Estamos de luto porque era boa pessoa", diz. Fonte dos Hospitais da Universidade de Coimbra disse ao CM que João Correia está internado no serviço de Gastrenterologia "com prognóstico favorável".

FUNGOS MATAM CASAL E FILHO EM PESO DE RÉGUA

Com este caso no Sabugal, eleva-se para quatro o número de mortes provocadas por cogumelos venenosos nas últimas três semanas. Em finais de Outubro, em Peso da Régua, um casal e o filho morreram após ingerirem cogumelos amanita phalloides. Américo Melo, de 42 anos, apanhou-os e comeu-os com os pais, Manuel Melo e Conceição Martins, de 68 e 70.

Recorde-se que só o transplante hepático evita a morte face à rápida falência do fígado, dos rins e do sistema nervoso.

cm