O Governo espera que a greve nos portos termine no próximo dia 29, com a aprovação no Parlamento da nova legislação que vai regular o funcionamento dos portos nacionais. Até lá, não haverá requisição civil enquanto forem cumpridos os serviços mínimos, apurou o CM.

Ontem, os estivadores e as associações de operadores falharam um acordo sobre os serviços mínimos para a greve nos portos de Lisboa e de Setúbal, mas chegaram a entendimento para Aveiro e Figueira da Foz.

O presidente do Sindicato dos Estivadores do Centro e Sul, Vítor Dias, disse que "houve um acordo parcial", já que os portos de Aveiro e da Figueira da Foz chegaram a um entendimento, que corresponde aos serviços mínimos alargados consensualizados a 26 de Outubro.

As negociações com as várias forças sindicais começaram em Setembro de 2012 e resultaram na assinatura de um acordo com os sindicatos afectos à UGT, que representam 60% dos trabalhadores portuários.

As estruturas afectas à CGTP não assinaram o acordo e continuam a greve em Lisboa e no porto de Setúbal, paralisações que duram há dois meses.

cm