Governo admite atrasos no pagamento de prestações sociais

O ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Mota Soares, admitiu hoje que há "situações pontuais" em que ocorrem atrasos nos pagamentos de prestações sociais, casos dos subsídios de desemprego, de doença ou de parentalidade.
"Nós agimos em todos os casos dos quais temos conhecimento. Mas não registamos, do ponto de vista das prestações sociais esse atraso [no pagamento de subsídios aos beneficiários]", afirmou aos jornalistas o governante, à margem de um evento em Lisboa.
"Admitimos sempre que possam existir algumas situações pontuais", disse Mota Soares, depois de confrontado com casos concretos em que o atraso nos pagamentos de subsídios por parte da Segurança Social chega a ser de 30 dias.
"Tal como existe o contrário. Já fizemos processos especiais de processamentos, por exemplo, em casos de situações empresariais de alguns locais do país com maiores dificuldades, com maior depressão económica, em que fazemos processamentos especiais, por exemplo, do subsídio de desemprego, para que chegue mais rapidamente às pessoas", sublinhou.
"Mas, do ponto de vista dos sistemas de Segurança Social, hoje existe um plano em que sabemos em que dias é que as prestações sociais são pagas, e isso permite-nos exatamente pagar mais pontualmente as mesmas", salientou o ministro.
E reforçou: "Por isso, sempre que temos conhecimento de algum caso pontual, investigamos para perceber o que é que aconteceu, mas não registamos, do ponto de vista do sistema, o atraso referido".


Fonte: Lusa / SOL