O Conselho de Ministros substituiu nesta quinta-feira a administração da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda liderada por Ana Manso, que foi marcada pela polémica nomeação do marido para consultor.



A nova equipa dirigente será liderada por Vasco Lino, um gestor com pós graduação na área de cuidados de saúde e que já esteve à frente do agrupamento de centros de saúde e do centro hospitalar da Cova da Beira.

Os restantes elementos que compõem o novo Conselho de Administração da ULS da Guarda são Flora Teixeira da Silva, Fernanda Trovão Maçoas, como directora clínica para os cuidados hospitalares, Gil Barreiros, como director clínico para os cuidados primários e João Rebelo Marques, como enfermeiro director, segundo oficial do Ministério da Saúde.

A administração de Ana Manso foi marcada pela polémica nomeação que fez do marido, Francisco Pires Manso, para as funções de auditor interno daquela ULS, e que suscitou fortes críticas dos partidos da oposição, que a consideraram um "verdadeiro escândalo" e um "favoritismo claro familiar".

Pouco depois, Ana Manso demitiu o marido, "para assegurar todos os critérios de transparência que se exige às instituições e aos dirigentes de cargos públicos", conforme terá justificado na altura ao ministro da Saúde.

A antiga deputada social-democrata, que apesar da polémica se manteve em funções, garantiu na altura que a designação do marido para este cargo "cumpriu escrupulosamente todos os procedimentos legais".

O ministro da Saúde considerou então que a demissão do marido da directora da ULS da Guarda do cargo de auditor interno, era o "único ato" possível.

cm