A Federação Nacional da Educação (FNE) pediu a anulação do concurso extraordinário de vinculação de professores, em carta dirigida ao Governo, disse esta sexta-feira à agência Lusa fonte da estrutura que congrega dez sindicatos.



As negociações sobre este processo terminaram sem o acordo tanto por parte da FNE como da Federação Nacional de Professores (FENPROF), no passado dia 15.

"É entendimento da FNE que, tendo em atenção as datas previsíveis da sua realização, nas vésperas do concurso ordinário previsto para 2013, o concurso extraordinário não revela vantagens para os docentes até aqui contratados, não implicando mais hipóteses de colocação do que o concurso externo ordinário", lê-se num documento a que a Lusa teve acesso.

A FNE defende que, tendo em conta o calendário necessário, "não se vislumbram efeitos positivos" para esta antecipação.

A federação recorda ainda que apesar de ter havido aproximações entre as partes durante a negociação, não deu o acordo final à proposta do Ministério da Educação por nunca ter sido definido "com clareza" o número de vagas para o concurso extraordinário destinado à vinculação de docentes, entre outros problemas.

cm