Portugal pode perder até 4 mil milhões de euros com a nova proposta de orçamento comunitário para 2014-2020, cuja discussão terminou ontem sem consenso entre os chefes de Governo, em Bruxelas.



Para o primeiro-ministro, Passos Coelho, a actual proposta é, ainda assim, "melhor" para o País, que recebe anualmente 4,5 mil milhões de euros, já que suaviza o corte de cinco mil milhões antes previsto. Isto porque o Conselho Europeu quer cortar 80 mil milhões de euros ao orçamento sugerido pela Comissão Europeia, de 1.033 mil milhões. Mas reforçando as dotações da Política Agrícola Comum em 7,5 mil milhões de euros, e o fundo de Coesão em 11 mil milhões de euros, através do qual Portugal recebe 70% das suas verbas.

cm