A história de ‘Pinóquio’ já todos a conhecem, mas um estudo da Universidade de Granada vem dar uma certa razão à figura criada por Carlo Collodi: ao não dizer a verdade, o nariz do ‘mentiroso’ sofre um aumento de temperatura.



De acordo com o departamento de Psicologia Experimental da referida universidade, quando alguém mente, além da subida de temperatura do nariz, cresce também a temperatura corporal na zona do músculo orbital, na esquina interna do olho. Algo que está associado à ansiedade.

Mais: quando se mente, estas mudanças térmicas não activam no cérebro uma estrutura chamada de ‘ínsula' que é parte do sistema de recompensa cerebral e que surge quando se diz a verdade.

Se realizarmos um grande esforço mental, por outro lado, a temperatura do nariz diminui.

O estudo assenta na termografia, técnica baseada na detecção de temperatura corporal que é aplicável em áreas como a medicina. Mas só agora foi relacionada com a psicologia.

A mesma análise concluiu que em casos de desejo e excitação sexual, tanto masculina como feminina, produz-se um aumento de temperatura na zona peitoral e genital.

cm