Prisão preventiva para quatro detidos em operação antidroga no Minho

O tribunal de Ponte da Barca decretou a prisão preventiva a quatro dos 13 detidos numa operação antidroga concretizada por mais de 200 militares da GNR em vários concelhos do Minho.
Segundo fonte judicial, as inquirições decorriam desde sexta-feira e só hoje foram concluídas, com o tribunal a decretar, ainda, a obrigatoriedade de apresentações periódicas às autoridades aos restantes nove detidos nesta operação.
A operação foi desencadeada, na quinta-feira, a partir de 30 mandados de busca domiciliária emitidos pelo tribunal de Ponte da Barca, no âmbito de um inquérito judicial sobre tráfico de droga na região, que estava a cargo da GNR.
As buscas foram realizadas em residências de Póvoa do Lanhoso, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Vila Verde e Braga, por 215 militares da GNR de quatro comandos territoriais diferentes (Viana do Castelo, Braga, Aveiro, Vila Real), além de elementos da PSP e do Grupo de Intervenção de Operações Especiais da Guarda.
Foram detidos 13 homens com idades compreendidas entre os 18 e os 39 anos, entretanto presentes ao tribunal de Ponte da Barca para primeiro interrogatório judicial.
A operação culminou ainda na apreensão de 30010 euros em notas do BCE, 2030 gramas de haxixe, 770 gramas de cocaína, 763 pés e 45,85 gramas de cabeças de canábis, além de 36,1 gramas de sementes da mesma planta.
Foram também apreendidas onze viaturas, 72 telemóveis e uma pistola de calibre 6,35 milímetros, entre outro material utilizado na produção de canábis.

Fonte: Jornal de Notícias