Os protestos vão voltar às ruas amanhã, dia da votação final global da proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2013. Entre os vários movimentos com acções convocadas, destaca-se a CGTP que terá três pontos de encontro para uma marcha pelas ruas de Lisboa que terminará às portas do Parlamento. Os estivadores já prometeram participar nesta manifestação, apesar de terem um protesto internacional agendado para quinta-feira na capital



Arménio Carlos, líder da CGTP, apelou à participação de "todos os que são vítimas da política de austeridade, exploração e empobrecimento do Governo" na marcha que começará com uma concentração pelas 10h00 no jardim da Estrela, no largo do Rato e em Santos para, depois, rumar ao Parlamento, onde vários outros movimentos se irão juntar a este protesto.

A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) agendou uma concentração junto ao Parlamento para mostrar que rejeita as "más perspectivas orçamentais" para a agricultura nacional.

Junto ao Parlamento também estarão elementos da Associação de Combate à Precariedade, Precários Inflexíveis, Indignados de Lisboa, Marcha Mundial das Mulheres, Movimento de Alternativa Socialista, Movimento Sem Emprego, Panteras Rosas e Plataforma 15 de Outubro, entre outros.

O Sindicato dos Estivadores do Centro e Sul também já confirmou presença nesta manifestação contra a austeridade proposta no OE para o próximo ano e tem um protesto internacional marcado para quinta-feira, quando os deputados votarem a nova lei sobre o regime de funcionamento do trabalho portuário.

PROTESTOS COM VIOLÊNCIA

Na última concentração realizada junto ao Parlamento, no passado dia 14 de Novembro, e após uma manifestação da CGTP, dezenas de manifestantes atiraram pedras à polícia durante mais de uma hora e esta respondeu com uma carga policial. Dos confrontos resultaram nove detidos, 21 pessoas identificadas e 48 feridos.

cm