O estrondo foi ouvido durante a madrugada em toda a aldeia de Vale do Paraíso, Aveiras de Cima, Azambuja, e deixou em alerta os moradores – na sua maioria idosos. Mas só às primeiras horas da manhã é que muitos se aperceberam da destruição. O rés-do- -chão do centro de dia da aldeia tinha sido totalmente danificado por um curto-circuito, que provocou uma explosão, seguida de incêndio. A Polícia Judiciária (PJ) investiga.



Poucos foram os moradores da rua D. João II que se aperceberam da situação. "Ouvi um estrondo muito grande, mas pensei que eram telhas a cair. Estava uma tempestade muito grande, com muita chuva e vento, e toda a gente pensou que era isso", disse ao CM um habitante da zona. "Ouvi a explosão, mas tive medo e preferi nem sequer vir à rua", contou uma utente do lar.

O alerta aos bombeiros foi dado pouco passava das 04h00, quando um residente se aper-cebeu de um foco de incêndio. Tinha ouvido a explosão meia hora antes.

O centro de dia está aberto todos os dias de semana, mas encontrava-se vazio na altura do incidente, uma vez que o funcionamento é apenas diurno. Com a explosão, seguiu-se o incêndio que, por minutos, não atingiu o armazém, onde são guardadas as centenas de produtos alimentares servidos aos idosos da aldeia e das populações vizinhas.

O fogo foi extinto pelos bombeiros da Azambuja, que se deslocaram ao local com duas viaturas e quatro elementos. A GNR de Aveiras de Cima tomou conta da ocorrência. Inspectores da PJ estiveram no lar a efectuar várias perícias desde as 07h30 – prolongaram-se durante várias horas. Só a conclusão da investigação irá determinar as causas que levaram ao curto-circuito.

cm